O Eco

O ECO
Temas relacionados a esta história:  Amor ao  Próximo, Ação e reação, gentilezas, etc

O ECO

Todos os dias o pequeno Henrique levava suas cabrinhas às  montanhas para pastar.
Certa vez, uma delas, a Cigana, escapou e saiu correndo para um grande vale, onde o som ecoava.
 
Henrique chamava, - Cigana! E, ouvia, logo em seguida o som de sua voz repetir-se ao longe:
-       ...Cigana!

Sem compreender o que se passava, Henrique respondia:
-       Quem está aí?

E novamente ouvia o som de sua voz repetir-se:
-       ... Quem está aí?

Irritado, Henrique gritava: Não me imite seu bobo! E ao longe, o som repetia-se:
-       Bobo!

Henrique xingava e o eco respondia:
-       Venha cá! Vou dar-lhe uma surra!
-       ...Surra!

Apareça seu covarde!
-       ... Covarde!

Mais tarde, já em casa, a mãe de Henrique perguntou-lhe por que havia demorado tanto a regressar. Henrique explicou:
-       Mamãe, não quis preocupá-la, mas uma das cabras fugiu para o vale e eu fui atrás dela. Mas, lá havia um menino malcriado e covarde. Ele me xingou e não quis aparecer, porque eu disse que iria bater nele!

A mãe de Henrique resolveu acompanhar o filho às montanhas no dia seguinte, combinando que, ao chegarem no vale Henrique deveria chamar o menino malcriado perguntando-lhe se desejaria ser seu amigo.
-       Olhe Henrique, falou a boa senhora, diga-lhe apenas coisas boas e bonitas, está bem!?
-       Está bem, mamãe!
 
Ao chegarem no imenso vale, Henrique gritou alto e forte:

-       Menino, quer ser meu amigo? Ouvindo em seguida:
-       ... Amigo!
-        Vamos brincar?
-       .. Brincar!
-       Você é simpático!
-       ... Simpático!
 
Então, a mãe ensinou o que era o eco, e explicou que com as pessoas também é assim.
-       Quando quiser ouvir respostas agradáveis, comece você dizendo coisas agradáveis. Você verá, meu filho, que existe um ECO na alma de cada um de nós, que responde de acordo com aquilo que nos é dito!