A Pedagogia de Jesus

UMA INTRODUÇÃO À PROPOSTAPEDAGÓGICA DE JESUS,
SEUS PRINCÍPIOS NORTEADORES E PRÁTICAS DE ENSINO
Sandra Borba Pereira*

  “A OBRA MESSIÂNICA É OBRA DE EDUCAÇÃO” (Vinícius)

A afirmativa acima nos apresenta o principal caráter do Evangelho: a ação transformadora que ele deve operar através da educação voltada para a formação do homem de bem. Por essa razão mesma, o único título aceito por Jesus foi o de “Mestre”, título esse legitimado por todo um conjunto de práticas pedagógicas por Ele utilizadas.

É que Jesus viu na educação moral de cada e de todo homem. O Roteiro de libertação dos vícios de diversa ordem, a rota segura para se alcançar a vivência da Lei Divina em toda sua plenitude. Toda obra crística foi para se alcançar a vivência da Lei Divina em toda sua plenitude. Toda obra crística foi para esclarecer e demostrar a força da educação.

Sendo obra de educação, o Cristianismo possui em sua origem – ainda que de forma primordialmente oral – uma proposta pedagógica que perpassa toda a prática do Cristo. A principal ocupação de Jesus, nos comprovam os dados constantes do Evangelho. Foi o exercício pedagógico:

Jesus ensinado 45  vezes
Jesus pregando e ensinando   11 vezes
O uso do termo “Discípulo” para seus seguidores de perto  243 vezes
 
Embora sem registro escrito da parte de seu fundador. O Cristianismo tem plenamente identificada, no corpo de suas idéias, uma proposta pedagógica. Renomados estudiosos da História da Educação, tais como F. LARROYO, R. HUBERT, L. LUZURIAGA, MESSER, P. MONROE, H. MARROU, BONATELLI, L. RIBOULET, R. GAL, dentre outros, afirmam a existência de toda uma dimensão “pedagógica” no dizer e agir de Jesus junto aos discípulos e à multidão que sempre o cercava.

GAL por exemplo, lamenta:

“O cristianismo alterou menos do que se poderia pensar as formas da educação antiga, se considerarmos as novas convicções de que ele era portador. Sem dúvida, com suas idéias de filiação divina de todos os homens e, por conseguinte, de fraternidade universal, ele deveria contribuir para libertar pouco a pouco o homem dos estreitos vínculos que o prendiam aos grupos humanos da cidade, da nação ou da raça.”

L.RIBOULET assevera:

 “O evangelho encerra os grandes princípios da psicologia humana; contém lições sobre a natureza da criança, seus deveres, a autoridade dos mestres, etc. Traz certos elementos que têm exercido grande influência na educação... ”

P. MONROE enfatiza a grande contribuição pedagógico-moral do Cristianismo:

“Foi assim, na natureza moral do homem, apenas tocada pela religião pagã e vagamente desvendada pela filosofia grega, que se veio a encontrar uma nova base de vida e uma nova solução do problema fundamental da educação e da vida moral.”

 * Pedagoga.

Mas é em F. LARROYO que encontramos a mais significativas visão acerca da contribuição pedagógica de Jesus:

 “Jesus é o modelo perfeito do mestre cristão. Clemente de Alexandria denominou-o Pedagogo da Humanidade, pois considerou que deu, por seu exemplo e por seu ensino, os princípios eternos da educação e conduta humanas.”

123 - 4 - 5678  >> próxima página