Por que as crianças brincam

A brincadeira é um importante mecanismo para a aprendizagem da criança.
O jogo como experiência de aprendizagem lúdica é uma das bases fundamentais para o desenvolvimento pessoal e grupal na infância.
Através dos jogos e brincadeiras, potenciamos e favorecemos a transmissão de valores que tem como objetivo o desenvolvimento do ser humano em todas as suas potencialidades e a ótima relação desta com os demais e seu entorno.

Esta finalidade do jogo é mais efetiva em grupo, utilizando para isso uma metodologia que se baseia nos seguintes princípios:

1) O trabalho a partir de uma perspectiva lúdica, vivencial e através da experimentação ativa e participativa.

2) A intervenção a partir de uma perspectiva de trabalho em equipe, através da reflexão, da ação organizada e da cooperação.

Jogar é algo inato ao ser humano.
Isso acontece desde nosso nascimento e vai até nossa morte.
Ao jogar, desenvolve-se uma série de processos que combinados entre si formam o pilar de nosso desenvolvimento da maturidade, ao tempo que se respeita nosso ritmo individual.

Não é necessário pois que nos ensinem a jogar. O jogo simplesmente aparece, mas às vezes os adultos nos limitam esta atividade e não a estimulam de maneira adequada.

O jogo é nossa atividade principal e grande meio de aprendizagem.

Graças a ele conhecemos o mundo dos objetos, dos símbolos, os outros, as regras que teremos que respeitar para interatuar com os objetos e com os demais e, além disso, nos conhecemos a nós mesmos. É pois, uma necessidade básica que temos, tal como comer, dormir, ter proteção e segurança, pelo que se deduz que a vossa responsabilidade como adultos ajudarmos a satisfazê-la da melhor maneira possivel.

As crianças que não satisfazem ou que tem carências de atividades lúdicas  podem chegar a apresentar certos problemas intelectuais, sociais, de linguagem..., e isto ocorre em contextos desfavorecidos, pouco estimulantes, onde se padecem situações de maltrato ou abandono, exploração de trabalho, quando internadas por muito tempo  em  hospitais, ou se sofrem de algum  tipo de debilidade auditiva, motora..., principalmente se o jogo ou brincadeira não é suficientemente adaptado às diferentes capacidades.

Por isso, é tão importante o trabalho em situações desfavoráveis, seja dirigido para compensar esta falta de recursos, de estímulos, ou para adaptar materiais de acordo com os diversos tipos de limitações e naturalmente de  necessidades e interesses existentes.

Fonte: ( site cruz roja juventud.org) texto original em espanhol